Os sons da Marcha de Alcântara: as memórias que perduram de um bairro silenciado

Joana Mendes e Maria Inês Marques (Universidade Nova de Lisboa)

0
742

Silêncio, saudade e esperança: as palavras de ordem na Marcha de Alcântara. Em 2020, o tema já estava escolhido, adereços feitos e protótipos pensados. Era altura dos marchantes começarem a ensaiar quando a EGEAC, consequência da pandemia de covid-19, cancelou os Santos Populares. Em 2021 não foi diferente. Não houve desfile, atuações, nem se cantou por Alcântara. Para ajudar a coletividade responsável pela organização da Marcha, a Câmara Municipal de Lisboa atribuiu-lhe 15 000 euros. Dinheiro que foi usado para cobrir os gastos e pagar trabalhos que tinham sido iniciados ainda em 2020.